IMG-LOGO
Ultimas Noticias: PSOL municipal condena autoritarismo contra jornalistas que denunciam possíveis atos de corrupção em Camaçari Vacinação contra Covid continua nesta segunda (4) Gleba C fez as vezes do Camaforró para morador raiz, Praça Abrantes garantiu brilho e as comunidades o sucesso das festas Diante do maciço apoio popular Elinaldo percebe que Neto pode vencer no primeiro turno Enquanto a política se concentrou na Lapinha o esporte, lazer e cidadania fizeram festa em Camaçari
Auditores agropecuários fecham fábricas de licor irregulares na Bahia
22/06/22 as 08:43 pm

 

 

Produtores não tinham registro no Ministério da Agricultura
 

Duas fábricas de licor irregulares foram fechadas na cidade de Cachoeiro, no Recôncavo Baiano, nesta terça-feira (21). A ação foi coordenada pelo Serviço de Inspeção de Produtos de Origem Vegetal (SIPOV) Bahia, com o apoio da Polícia Federal. Os fabricantes não tinham registro para a produção de bebidas alcoólicas no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA).

 

As fábricas “Licores do Roquete Pinto” e “Arraiá do Quiabo” foram alvos de denúncia anônima em 2021, de suposto uso de produtos químicos e álcool sem procedência comprovada na produção dos licores. Desde então, os fabricantes foram orientados sobre a necessidade de terem seus produtos registrados e analisados em laboratórios do MAPA.

 

O chefe do SIPOV BA, Sérgio Mariano, afirmou que a Prefeitura de Cachoeiro e a Vigilância Sanitária municipal pediram um prazo inexistente para adequação das fábricas: “Pediram um prazo que não existe, não cumpriram com o que foi determinado. Cumprimos a obrigação, estamos preservando a saúde pública”.

 

Os produtores tiveram um ano para regularizar suas produções, o que não aconteceu. Em maio, Auditores Fiscais Federais Agropecuários foram às indústrias para cumprir uma ação de interdição, mas foram impedidos. Por isso, foi necessária a ajuda da Polícia Federal para a executar a ação.

 

BANNER

LINKS ÚTEIS