Compartilha Bahia
Coronavírus sobe em Camaçari: 86 casos nesta sexta-feira (15)
16/01/21 as 01:02 am
Ver Notcia

O boletim desta sexta-feira (15) apresenta 86 novos casos de coronavírus em Camaçari (BA), o que eleva o número de pessoas com o vírus ativo para 490.


Ao todo 8.049 pessoas ja se contaminaram na cidade, das quais 7.414 se recuperaram e 145 morreram.


Nos ultimos 4 dias foram acrescidos 310 casos positivos, e na semana toda, o acumulado, até agora é de 322 casos.

Os atuais números de casos confirmados em uma semana, são, aproximadamente, a metade do que tivemos no final de junho. E os números de casos ativos é semelhante ao que tivemos na segunda quinzena de julho, quando a pandemia se preparava para o pior momento. Naquela época o comércio estava parcialmente fechado.


Ver Notcia

Prefeitura antecipa 1/3 férias dos servidores da rede municipal de ensino

 

O pagamento do 1/3 de férias dos profissionais da educação do município, que habitualmente é pago à categoria no mês de março, foi antecipado pela Prefeitura de Camaçari, por intermédio da Secretaria da Administração (Secad). O beneficio foi creditado em conta nesta sexta-feira (15/1).

De acordo com o secretário da Administração, Hélder Almeida, “essa é mais uma iniciativa da administração municipal no intuito de valorizar cada vez mais os professores e servidores da educação, além de atenuar os impactos causados por conta da crise decorrente da pandemia da Covid-19,” destacou.

Com a medida, 2.068 funcionários serão beneficiados. O titular da pasta informou ainda que o valor injetado, com a antecipação do beneficio, é de R$ 3.127 milhões. 

 

Ver Notcia
Ver Notcia

Ailane Santos Costa, 28 anos, foi assassinada no inicio da noite desta quinta-feira (14), ao lado de uma Igreja Evangélica, em Barra de Pojuca, comunidade da orla marítima de Camaçari (BA). O autor dos disparos, segundo informações, foi Carlos Mota Soares, 41 anos, que seria o companheira da vítima.
Ele se matou em seguida.


Ver Notcia

Mudança para o Boulevard garante mais conforto e segurança / Foto: Divulgação

 

A partir da próxima segunda-feira, 18, os cartórios do 1º e 2º Ofício de Notas de Camaçari passarão a funcionar no Boulevard Shopping. O atendimento ao público será de segunda a sexta-feira, das 9h às 16h, durante a pandemia.

Os serviços do setor de notas – como escrituras, inventário, procurações e declarações – estarão disponíveis por meio de agendamento. Para isso, o usuário deve ligar para o telefone 71 3622-4167 ou entrar em contato pelo WhatsApp (71 98774-4452).

Já os atendimentos de balcão – a exemplo de abertura e reconhecimento de firma, autenticação e sinal público – serão realizados por ordem de chegada, mediante à distribuição de senha. Isso ocorre porque, em virtude da crise de saúde, só serão permitidas 15 pessoas por vez dentro do espaço, que fica ao lado da Loja Velmond, no L1.

Maria Joselita Espirito Santo Almeida, tabeliã responsável pelos cartórios, afirma que “esse novo endereço vai proporcionar mais conforto e segurança aos usuários dos nossos serviços”. Ela ainda destacou que o espaço adotará as medidas para garantir a prevenção contra o coronavírus, com a disponibilização de álcool em gel, medição de temperatura na entrada do espaço, higienização constante e marcações de distanciamento nos assentos e no chão.

 

>> Serviços oferecidos pelos cartórios

·         Abertura de Firma

·         Reconhecimento de Firma

·         Autenticação

·         Sinal Público

·         Escritura de União Estável

·         Escritura de Imóvel

·         Escrituras Diversas

·         Procurações

·         Substabelecimentos

·         Ata Notarial

·         Ata Notarial de Usucapião

·         Divórcio

·         Inventário

·         Testamento


Ver Notcia

O boletim do coronavírus em Camaçari (BA) nesta quinta-feira (14), apresenta 60 novos casos confirmados, sendo que o total desde o inicio da pandemia, está agora em 7.963.


Desses 7.409 ja se recupraram e 411 estão em tratamento, sendo que 12 estão internados em hospitais e 397 em isolamento domiciliar.
Os óbito somam até hoje 145.


Ver Notcia

Escolas poderão funcionar inicialmente com 35% da capacidade. Gestão Covas decidiu seguir cronograma estadual e permitir abertura de toda a rede em 2021. Na rede municipal, aulas retornarão no dia 15 de fevereiro, mas ensino particular tem autorização para iniciar antes.

Agora é oficial: prefeitura da capital anuncia a volta às aulas presenciais dia primeiro de fevereiro
A Prefeitura de São Paulo autorizou o retorno das aulas presenciais na cidade a partir do dia 1° de fevereiro. As escolas de toda a rede de ensino poderão incialmente operar com 35% da capacidade. O anúncio foi feito nesta quinta-feira (14) durante coletiva de imprensa virtual da gestão municipal.
"A Vigilância Sanitária do município recomenda o retorno seletivo para toda a rede de ensino no município privada e pública a partir de 1º de fevereiro, com a capacidade de 35% desses equipamentos a serem ocupados", disse o secretário municipal da Saúde, Edson Aparecido.
Na rede municipal, o retorno dos alunos será feito no 15 de fevereiro. Entretanto, as escolas particulares têm autorização para iniciar antes, se assim desejarem.
"Na rede privada, cada escola vai definir a partir do dia 1º como será o seu retorno, se quer fazer igual a rede municipal, ter um planejamento e então retomar, ou se quer já começar imediatamente", afirmou o secretário municipal de Educação, Fernando Padula.
A secretária-adjunta de Educação, Minéia Fratelli, disse que os primeiros 15 dias serão usados para acolhimento dos professores e preparação das escolas, e destacou que a presença dos alunos não será obrigatória.
"Os familiares podem optar pelo retorno das crianças ou não. Então, a gente vai fazer essa pesquisa com os familiares. Pode ser que eu tenha escolas que eu tenha que fazer um rodízio, porque mais de 35% querem voltar, ou outras que eu posso atender todos os dias, diariamente, porque só 35% querem voltar", explicou.


Ver Notcia


O churrasco de um grupo de amigos, em Camaçari, Região Metropolitana de Salvador, terminou em denúncia por crime de maus-tratos a animais. Um dos participantes do evento publicou em seu perfil no Instagram que a refeição do dia era um gato e mostrou o passo a passo do "preparo". No final dos Stories, os homens ainda posaram com a carcaça do animal nas mãos, como um troféu. As informações são do jornal Correio*.

A página oficial do Grupo de Apoio e Proteção ao Animal de Rua (Gapar) (@gaparoficial) denunciou as postagens no Instagram. Com a repercussão do caso, o perfil em que as imagens foram divulgadas foi removido da rede social.


Foto: reprodução
Nesta quinta-feira (14), Ministério Público Estadual (MP-BA) tomou conhecimento do caso através de um e-mail anônimo com fotos retiradas antes da remoção do perfil na rede social. Em nota ao jornal, o órgão informou que as imagens indicam crime de maus-tratos a animais.

“O e-mail com as fotos foi encaminhado para a Promotoria Regional de Camaçari para ser distribuído a um promotor de Justiça tomar as medidas cabíveis para apuração dos fatos, como solicitação da abertura de inquérito policial para investigar o suposto crime”, diz a nota. A situação será apurado pelo promotor Luciano Pitta, que atua na área de Meio Ambiente no município.

Em sua denúncia, o Gapar cobrou o posicionamento de vereadores que foram eleitos defendendo a causa animal.

“Além de matar, que é um crime e não justifica, eles ainda postaram como se fosse um troféu, fazendo apologia a tal atrocidade”, declarou um dos membros da Gapar ao Correio*. O voluntário, que preferiu não se identificar, revelou que a entidade pretende registrar um boletim de ocorrência.


Ver Notcia

Coluna Fernando Calmon nº 1.132 — 12/1/21 

 

 

 

Decisão da empresa de encerrar a produção de veículos no Brasil tem implicações negativas de curto prazo. Mas não deve levar a um cenário de desindustrialização do setor automobilístico. Existem alguns aspectos históricos a ressaltar. Em 1986 a Ford esteve perto de sair do País em meio à conhecida década econômica perdidaAs importações de veículos estavam proibidaso existiam alternativas. Contudo, união com a Volkswagen, na Autolatina, deu-lhe fôlego para continuar nove anos depois do “divórcio”. 

Na Argentina houve desistência industrial da GM, que anos depois retornou. Fiat e Peugeot se fundiram, se separaram e voltaram cada uma para seu ladoRenault da mesma forma: entrou, saiu e voltou. No Brasil há os casos da Alfa Romeo, Audi, Chrysler, Jeep, Renault e Mercedes-Benz. 

Ford ainda produz automóveis na Europa, Índia e China, mas na América do Norte e agora do Sul, nada. Não há um prazo para focar apenas em SUVs, crossovers e picapes, conforme anunciou em 2018. Estes são bem mais lucrativos e os compradores americanos mantêm confiança nas marcas domésticas, em especial nos modelos maiores. 

Um aspecto pouco observado é que a empresa decidiu manter centro de desenvolvimento, na Bahia e o campo de provas, em São Paulo. Exportará serviços e alguns empregos qualificados serão salvos. Porém, terá que devolver incentivos fiscais e indenizar empregados e concessionárias, além de outras despesas. Para tanto alocou US$ 4,5 bilhões (R$ 24 bilhões). GM, ao contrário, enviou grande parte dos engenheiros brasileiros para a China e EUA, mas descongelou agora R$ 10 bilhões de investimentos nos próximos cinco anos para novos produtos. 

Obviamente a participação de mercado da Ford vai cair para um patamar bem inferior ao qual terminou em 2020. O tíquete médio dos carros quvenderá será muito mais alto, mas a empresa quer garantir a rentabilidade que garantirá sua sobrevivência não só aqui, mas no mundo. Isso, no entanto, não deve afetar a recuperação do mercado brasileiro este ano (leia abaixo). 

O Brasil é um país dos compactos. Hatches e sedãs representam cerca de 45% das vendas totaisCom o avanço das novas tecnologias, ainda caras, fica bastante mais difícil diluir os custos em modelos menores e de lucratividade limitadaA saída natural seria importar componentes e aumentar a exportação. Para tanto o País teria de investir muito em infraestrutura, além de uma reforma tributária que realmente melhorasse a eficiência econômica e desonerasse os produtos exportados, como os outros países fazem. Esse mau hábito de gerar créditos tributários e nunca restituí-los ou compensá-los, realmente não funciona. 

Por suas dimensões continentais e densidade de habitantes por veículo ainda inferior à da Argentina e do México, por exemplo, o Brasil ainda tem o que avançarDe 2010 a 2014 o País figurou como quarto maior mercado interno do mundo, atrás de China, EUA e Japão. Por sua imensa população a Índia vai se consolidar à nossa frente. Mesmo assim, uma quinta colocação no ranking mundial continuará sendo atraente. Como produtor de veículos já fomos o sétimo (hoje, o nono), mas existe potencial de ser o sexto colocado. 

 

O QUE ESPERAR DO 

MERCADO EM 2021 

 

A economia brasileira foi fortemente atingida pela pandemia do covid-19em 2020. Ainda assim a queda do PIB (em torno de 4,5%ficou em patamar bem menor que o previsto até pelo FMI. Na indústria automobilística não foi diferente. Contra números previstos de até mais de 40% de redução do mercado interno de veículos leves e pesados, o tombo ficou em 26%Em 2015, mesmo sem pandemia, as vendas já haviam caído nessa mesma magnitude. Nada comparável a 1981, quando as vendas derreteram 40% frente a 1980. 

Na produção que inclui os números de exportação, principalmente para a Argentina, a queda atingiu 31%O total de empregados na indústria sofreu uma contração de 4% (5.000 funcionários a menos). Os estoques nas fábricas e concessionárias caíram para apenas 12 dias (um terço do habitual), o menor em toda a séria histórica da indústria. 

Para este ano a Anfavea demonstrou cautela na recuperação das vendas (15%), exportações (9%) e produção (25%). A Fenabrave também projetou os mesmo 15% de avanço na comercialização, uma coincidência que não é tão comum. Nesse ritmo a volta aos níveis de 2019 (ano sem efeito da pandemia) só ocorreria em 2023. Para complicar ainda há o desastrado aumento do ICMS no Estado de São Paulo, tanto para veículos novos quanto para usados. Deverá impactar as vendas, embora ainda não seja possível avaliar os estragos. 

Por outro lado, apesar dos percalços políticos em Brasília, a economia brasileira crescerá este ano no mínimo 3,5% até por uma base comparativa baixa em relação a 2020. A vacinação de parte da população deve ajudar como reação positiva. O dinheiro retido no ano passado pelo cancelamento de viagens e outros gastos entre os que podem comprar automóveis, deve ser aplicado para este fim. 

Então, há um potencial de voltar aos números de 2019 já em 2021, o que significaria um incremento nas vendas em torno de 35%. Otimismo exagerado? É o que vamos conferir em 31 de dezembro deste ano.  

____________________________________________________________ 

www.fernandocalmon.com.br 

 


Ver Notcia

Um crime chocou Camaçari na madrugada de segunda-feira (11). Parece inacreditável, mas uma mãe matou por envenenamento os próprios filhos, uma menina de oito anos, e um menino de um aninho. A tragédia aconteceu no Conjunto Habitacional Chácara Santo Antônio, localizado no bairro da Lama Preta. Logo após o duplo homicídio, a mulher teria tentado tirar a própria vida, ingerindo a mesma substância, mas sobreviveu e está presa. 

 Segundo o delegado titular da 4ª DHPP em Camaçari, Yves Correia, a suspeita, de iniciais G.P., não possuía nenhum registro criminal, e de acordo com o delegado, ela teria premeditado o crime, deixando uma carta para os familiares, se despedindo, agradecendo e se desculpando.
“Ela informou que arrumou as roupas com as quais ela e as crianças deveriam usar no funeral”, relata o policial.
Em entrevista a imprensa ele também diz:
“Estamos esperando apenas o laudo da necrópsia. A princípio, ela foi flagranteada pelo crime de homicídio qualificado. Porém, se for considerada uma pessoa inimputável, ou seja, com problemas mentais, a justiça vai aplicar uma medida de segurança, que não deixa de ser uma sanção penal. Ela será encaminhada para um tratamento ambulatorial ou internada num hospital de custódia”, explicou o delegado.
"Segundo informações de familiares, ela teria se separado do ex-companheiro há dez dias, entretanto, ela que teria buscado a separação. Agora, somente um especialista poderá avaliar o grau de depressão que ela sofreu após a separação”, concluiu.


Ver Notcia

Ferreira durante expedição marítima para coleta de dados / Foto: Divulgação

 

O efeito da mudança climática e da poluição – assim como as consequências futuras deles para os oceanos, a exemplo das condições estressantes para a vida marinha – serão algumas das temáticas abordadas durante a live “Funcionalidade ecológica dos oceanos futuros”, com o ecólogo marinho Camilo Moitinho Ferreira. O bate-papo virtual acontecerá nesta sexta-feira, 15, a partir das 15h, no canal da Fundação Aleixo Belov no YouTube.   

 

“Nossos oceanos nunca enfrentaram tamanho desafio como atualmente e as expectativas futuras não são nada promissoras. É neste contexto que a previsão e a compreensão dos problemas que os oceanos enfrentarão são indispensáveis para criar estratégias de manejo e conservação que consigam manter o eficiente funcionamento ecológico e serviços providos pelos ambientes marinhos”, destaca o ecólogo.

 

Ferreira, que é o primeiro convidado de 2021 da série de lives da fundação, é doutor em ecologia aplicada pela Universidade de Adelaide (Austrália), além de mestre em ecologia e conservação pela Universidade Estadual da Paraíba. Ele, que se formou em ciências biológicas na Universidade Católica de Salvador, vem desenvolvendo, há mais 15 anos, trabalhos em ecossistemas marinhos temperados e tropicais, analisando a relação entre animais sob condições estressantes.

 

Um dos seus principais trabalhos foi realizado no recife de corais do Atlântico Sul (Banco dos Abrolhos), contribuindo com diversos projetos de pesquisa junto a organizações não governamentais, como a Conservação Internacional Brasil, e o projeto Produtividade, Sustentabilidade e Utilização do Ecossistema do Banco dos Abrolhos (Pro-Abrolhos).


Ver Notcia

Camaçari (BA) registrou no boletim dessa quarta-feira (13) o maior número de casos de infectados em um único dia, desde o início da pandemia, em março do ano passado. Foram 102 novos casos e 3 óbitos por Covid-19 nas últimas 24 horas.

Segundo o último Boletim da Secretaria de Saúde do município (Sesau), município somou 7.903 casos e 145 óbitos desde o início da pandemia.

Registra o boletim de hoje também, que 7.325 pessoas ja se recuperaram na cidade e 422 pacientes estão com o vírus em atividade, podendo transmiti-lo para outras pessoas.


Ver Notcia

Prefeitura lança edital de credenciamento de instituições educacionais

 

A Prefeitura de Camaçari, por meio da Secretaria da Educação (Seduc), já inicia o ano de 2021 com o pé direito no que diz respeito à ampliação da rede de proteção à educação infantil no município. É que foi lançado o edital de credenciamento para entidades e instituições educacionais comunitárias interessadas em firmar parceria com a administração municipal. Interessados têm até o dia 21 de janeiro para se habilitarem.  

 

E a novidade não para por aí. É que paralelo ao lançamento do edital serão ampliados os números de entidades conveniadas e, sobretudo, de vagas ofertadas, que sairá de 1.500 crianças atendidas para 3 mil, ou seja, a ampliação de vagas será de 100%. O aviso de credenciamento número 0001/2021 foi publicado na segunda-feira (11/1), no Diário Oficial do Município (DOM) número 1.576, divulgado na mesma data.  A íntegra do documento, com todas as informações pertinentes, pode ser obtida aqui.

 

A secretária da Educação, Neurilene Martins, falou que a ampliação do número de entidades parceiras e das vagas ofertadas atende a uma vontade política do prefeito Elinaldo Araújo. “Essa é mais uma ação estratégica de governo para avançar na educação infantil de Camaçari, que faz parte do Plano Municipal de Educação”, destacou a titular da pasta.

 

Atualmente, a prefeitura possui convênio firmado com 11 entidades educacionais comunitárias, que atendem crianças de zero a cinco anos e onze meses de idade. De acordo com a Seduc, com a ampliação do número de entidades parceiras e das vagas ofertadas, a prioridade é atender crianças de quatro e cinco anos. Com isso, o objetivo é atender a meta de 100% deste público especifico. Com o novo credenciamento, a tabela do aporte financeiro também será atualizada e ajustada, o que proporcionará aos gestores investir mais e melhor nas unidades.  

 

Entendendo que tudo isso irá impactar e repercutir positivamente para as instituições comunitárias e, especialmente, na vida das famílias beneficiadas, Neurilene Martins fez questão de levar a boa nova à Escola Creche Comunitária Carmem Mirim, que será uma das unidades a participar do credenciamento. “A possibilidade de ter essa creche participando das unidades conveniadas muito me alegra, por saber do comprometimento dispensado à comunidade”, ressaltou.

 

A fundadora da Escola Creche Comunitária Carmem Mirim, Araildes Lisboa, ficou radiante com a notícia da abertura do credenciamento. “Nós e toda a comunidade há muito esperávamos por isso. Tenho certeza que, após firmarmos a parceria com a prefeitura, vamos poder ajudar mais crianças, as coisas irão melhorar significativamente por aqui”, falou a responsável pela unidade ao se dizer honrada em ter recebido as informações diretamente da secretária da Educação.

 

Situada no bairro Jardim Limoeiro, a Escola Creche Comunitária Carmem Mirim existe há 20 anos. A unidade atende 150 crianças, com idade entre zero a cinco anos e onze meses. Destas, 80 são em tempo integral.

Foto: Jean Victor

 

Ver Notcia

A engenheira civil Rute Carvalhal foi reeleita ontem a noite pelos conselheiros da Câmara Especializada de Engenharia Civil do Crea Ba para coordenar os trabalhos neste ano de 2021. Este será o seu quarto mandato e única mulher a ocupar este cargo no conselho.


O Crea agora está sob o comando do Eng. Agrimensor Joseval Carqueija que foi eleito para o triênio 2021/2023 e esteve presente na posse e transmitiu mensagem de sucesso e parabéns pela escolha.


Carvalhal também é engenheira de segurança do trabalho no CEREST, órgão vinculado a Secretaria de Saúde do município e no seu agradecimento pelos votos recebidos e uma grande honra para Camaçari continuar representando os engenheiros civis da Bahia.


Ver Notcia

O prefeito de Camaçari, Elinaldo Araújo (Democratas), encaminhou à Assembleia Legislativa da Bahia (ALBA) o pedido de renovação do reconhecimento de estado de calamidade de Camaçari até 30 de junho deste ano. A solicitação do democrata teve como base o retorno do crescimento dos índices do covid-19 no estado e no país.

De acordo com Elinaldo, Camaçari teve uma significativa diminuição na arrecadação dos tributos e desaquecimento das atividades produtivas e comerciais por conta da restrição de circulação das pessoas para evitar o contágio da doença. “Tem-se instalado cenário de forte diminuição na arrecadação de tributos pelo município, especialmente com o impacto da pandemia sobre a produção industrial no Polo, esvaziamento da atividade turística, encolhimento das receitas tributárias do município, bem como dos repasses constitucionais oriundos do ICMS e FPM, dentre outros”, disse Elinaldo.

“Da mesma forma, o erário municipal sofre as consequências da queda de arrecadação do ICMS e correlato repasse do percentual de 25% aos municípios, com especial reflexo sobre Camaçari, dada a força de sua indústria, com peso significativo na arrecadação e na participação dos recursos compartilhados”, acrescentou o prefeito de Camaçari.

O democrata ressalta, ainda, que o fechamento da fábrica da Ford é outro fator que irá impactar na arrecadação. O impacto anual estimado deve ser de R$ 150 milhões. “Além da questão econômica, teremos também um impacto social muito grande devido ao desemprego, uma vez que a maioria dos trabalhadores da Ford moram em Camaçari”, pontuou.

Elinaldo destacou que, ao mesmo tempo que teve reduções de arrecadação nos cofres públicos, o município continua tendo gastos direcionados à saúde, tanto para atender às pessoas contaminadas com a doença, como com ações de prevenção à segunda onda. Além disso, a prefeitura segue investindo em ações para dar suporte às pessoas que mais precisam.

“A administração municipal continua a despender todos os esforços necessários à proteção à vida e à dignidade humana, em contexto de aumento de casos e consequente incremento das demandas da população. A segunda onda já vêm demandando significativos incrementos nos gastos direcionados ao sistema de saúde pública, bem assim no âmbito da assistência social, ao passo que as restrições à circulação de pessoas vêm afetando a economia, com projeção de reflexos significativos na arrecadação pelos entes públicos”, destacou.


 
© Compartilha Bahia- Anuncie | Institucional | Política de Privacidade | Contato | Assine